23 de março de 2018

Castlevania Symphony of the Night (Gamers on the road: 027) Floating Catacombs e FINAL ^_^

Tenha em mente uma coisa, VOCÊ NÃO É OBRIGADO A VIR AQUI FLOATING CATACOMBS, mas se esta vindo deve ser por somente duas ou no máximo três razões, a primeira delas e a mais importante é completar o mapa, a segunda é coletar os itens que na verdade nem vão fazer tanta falta assim, e a terceira é prevalecer naquele que eu considerava até então o maior desafio de Castlevania Symphony of the Night, ou seja, enfrentar e vencer o colossal Galamoth. Antes de dar prosseguimento a minha explanação da Floating Catacombs, eu gostaria de deixar claro algumas coisas. A primeira delas é que eu jogo Castlevania Symphony of the Night desde a década de 90 quando o game foi lançado, já venci e re-venci esse game tantas vezes e de tantos modos que já nem sei quantas foram, portanto, eu não preciso provar que eu sou capaz de vencer o jogo na raça. Porque eu estou dizendo isso? Porque tem muita gente me criticando por eu estar usando Cheat para facilitar as coisas (Basta dar uma olhadinha no marcador (HUB) de life para entenderem), isso ocorre porque em vez de somente jogar, eu estou a maior parte do tempo realizando tarefas de análise da programação do game, fora que esses cheats, ou melhor dizendo, esses códigos, foram encontrados por mim mesmo. Portanto, na maioria das vezes eu largo o controle deixando as coisas acontecerem na tela enquanto eu leio alguns txt’s, escrevo algumas sub-rotinas de testes, escrevo observações a serem testadas In-Game e, quando estou desenvolvendo o texto, escrevendo e capturando telas para ilustrar posts como este que você irá ler a seguir. Sendo assim, eu peço, não fiquem me criticando, estou fazendo isso porque estou procurando outro tipo de desafio em Castlevania Symphony of the Night, ou seja, trazer o máximo de coisas que você pode não conhecer através da Desconstrução. Ok? Sem mais delongas, vamos ao post!

A Floating Catacombs é a versão reversa do cenário das catacumbas já visto no castelo regular, aqui enfrentamos diversos tipos de inimigos como os Frozen Half’s que precisam ser eliminados o mais velozmente possível, Bat’s, Blood Skeleton e seu instantâneo poder de regeneração, além de outros como Salome e Skeleton, todos a serviço do poderoso Galamoth. A música tocada aqui, Curse Zone, não é apreciada como uma bela melodia que o faz divagar em devaneios, mas o faz sentir como se estivesse prestes a enfrentar algo aterrorizante e, sobretudo, perigoso. Assim que você adentra os recintos da Floating Catacombs sub até uma bifurcação e tome primeiro o caminho da direita para chegar a um save point game.
Continue seguindo pela direita até o final aonde você pegará um Magic Missile e um Buffalo Star oculto na parede, agora você precisa retornar por onde veio e prosseguir pelo caminho da esquerda na bifurcação mostrado na imagem superior esquerda. Na próxima tela você enfrentará algumas bruxinhas chamadas de Salomé voando em suas vassouras e se transformam em gatinhos quando derrotadas ^_^ e dão como itens o Mana Prism e os Chapéus de Mago. Mais adiante, ainda para a esquerda, você chegará numa área mais ampla cheia de morcego e mais duas escolha de rota a seguir, primeiramente vá para a passagem superior esquerda.
Se você estiver com o Diadema Olho-de-gato, seu HP se restaurará quando for atacado por um gato
:-)

Seguindo a diante, você chegará noutra área ampla guarnecida por mais Salomé e uma Frozen Half que tem um poderosíssimo poder de gelo bem chatinho de se esquivar continue seguindo para a direita e entre na passagem que fica na parte mais inferior (A única que existe), agora use o seu Spike Breaker para atravessar o caminho de espinhos.
Continue indo sempre para a esquerda derrotando os inimigos a sua frente até avistar quatro (4) jarras aonde nelas estarão contidas dois (2) Karma Coin’s, um Resist Fire e um Resist Thunder. Pego esses itens, suba, na próxima tela, vá andando até o final para pegar um Red bean Bun oculto no chão, e logo em seguida vá para a direita atravessando o batalhão de esqueletos até o final aonde você encontrará um Elixir e um Library Card oculto na parede quebrável. 
Coletado tudo, volte todo o caminho que você percorrei até aqui, até a área com os vários morcegos, e siga pela passagem superior direita e passe por mais um longo corredor cheio de caveiras imortais. Ao final, na sala aseguinte, colete um Life Max UP e um Heart Max UP jogados no chão e continue seguindo à direita.
Mais adiante, após enfrentar as caveiras que lançam ossos, caia no primeiro buraco que vir, destrua as jarras para pegar um Shield Potion e um Attach Potion, ainda dentro desse buraco, prossiga para a direita e quebre a parede (Indicada por uma placa com uma seta) para acessar uma sala secreta e pegue o Necklace of J, volte um pouco e saia desse buraco aonde você caiu e continue seguindo pela direita até não poder mais, você chegará numa sala aonde na verdade não tem nada além de uma mísera moeda, mas conta no mapa explorado, volte e caia seguindo pelo caminho de baixo.
Ao cair, você se deparará com mais uma bifurcação, aonde para a esquerda existe, respectivamente, um save point e uma sala com um Diamond, e para a direita o grande salão com o Galamoth esperando por você. Durante as minhas jogatinas antes de conhecer o poder dos códigos, eu sempre considerava o Galamoth a única criatura capaz de não apenas rivalizar com o poder do Drácula, mas como também facilmente subjugar o lendário vampiro mesmo em sua derradeira forma mais brutal, e eu tinha a minha própria estratégia, mas dessa vez eu pude finalmente ter uma noção mais precisa da ameaça que esse ser realmente representa para dois tipos de jogadores, aqueles que vão para luta de qualquer modo, e aqueles que montam uma estratégia de combate bem pensada.

Antes, porém, de efetivamente ativar a batalha, revise seus equipamentos e convoque seu familiar mais forte, normalmente eu uso o Crissaegrim, mas tem gente que gosta de amplificar o desafio usando outras armas como, por exemplo, a Alucard Sword. Se usar a fulminante combinação Shield Rod e Alucard Shield, o poderio da criatura vai para as cucúias, a armadura God's Garb é ótima caso você a tenha, e o Beryl Circlet (Diadema de Berilo) ajuda bastante pois ele restaura seu HP quando atacado com magias de elemento Thunder (Natureza elétrica), na verdade, com isso, você praticamente já tem a batalha ganha se souber dar as devidas atenções para outros aspectos da defesa e seu poderio de ataque contra a criatura. Outro fator de extrema relevância é o Nível de seu personagem, normalmente eu chego com o Alucard aqui entre 40 a 45, sugiro que você use a média desse padrão.
Quando ele se inclina para frente com seu cajado estendido para a esquerda, será o momento em que ele usará uma ataque com trovões, o Beryl Circlet não apenas protege seu personagem como o faz se restaurar com o ataque, entretanto, sem esse item, seu personagem sofrerá muitos danos seguidos, portanto aproveite essa oportunidade para atacar suas pernas. Outra forma de ataque são seus chutes que lançam Alucard para a parede, mas se o Galamoth erguer seu cajado para cima, será o momento em que você precisará se esquivar de suas bolas energéticas, pois o Beryl Circlet não o protegerá dessa investida, afastar-se da criatura sempre é a melhor opção, mas se estiver muito próximo a ele use a névoa.
Alguns jogadores tentam atingir a cabeça da criatura, mas essa é uma investida complicada, sempre concentre seus ataques nas pernas dele, após um pouco de paciência e tempo de batalha, diga-se de passagem, maior do que qualquer batalha com qualquer outro chefe, finalmente ele morrerá num verdadeiro espetáculo flamejante bonito de se ver, e como recompensa, você recebe somente um Life Max UP.
Siga agora para à direita por uma passagem no canto superior da tela, lá você encontrará um Heart Max UP e um Life Max UP, continue seguindo no mesmo rumo até ser obrigado a descer e entrar numa passagem à esquerda que leva a uma sala toda cheia de ornamentos com um Ruby Circlet bem no meio, o diadema de Rubí recupera o life do personagem quando este for atingido por alguma magia do elemento fogo, também devemos pegar a ultima relíquia, o Gas Cloud, que permite causar dano nos inimigos quando Alucard esta transformado em névoa. Feito isso, não resta mais nada a ser feito nesse cenário, agora é correr para o abraço rumo a batalha final contra Shaft e Drácula, para isso, vamos voltar à Black Marble Gallery, mais precisamente na sala do grande relógio, aonde se abrirá uma passagem no teto que era chão no castelo regular.
Obs: Tenha consciência de que já explorou ao máximo possível em todo o castelo para depois seguir para a batalha final, outra observação importante é que na passagem exatamente abaixo, você tem uma sala com várias armas secundárias, escolha aquela que você irá usar:
Sendo assim, vamos para as batalhas finais. Assim que subir para o próximo compartimento ANTES DE PEGAR O ELEVADOR arcaico, vá para a sala da esquerda para um Heart Refresh, depois vá para a sala da direita e salve o game. Depois disso, pegue o elevador, dê o contorno para um lado, e antes de ir pela abertura, faça uma volta reversa pelo outro para que você complete parte do restante do mapa. Só assim, entre pela passagem.
O primeiro chefe é o The dark priest Shaft, a mente que não apenas arquitetou a ressureição de Drácula como controlou a mente de Richter porque a família Belmont possui um poder sagrado que não pode ser vencido por possuir um poder supremo que não pode ser vencido. Após o diálogo, a batalha se inicia, alguns sites recomendam o uso do Shield Rod combinado com o Iron Shield, normalmente eu não escolho uma combinação muito fulminante, vou com golpes de espada mesmo. Devemos ter cuidado com o sacerdote levantar seu cajado para lançar algumas esferas negras. Na verdade como a área é pequena demais, é meio complicado se esquivar de alguns de seus ataques, portanto mande a porrada nele.
Quando ele for derrotado, Shaft dirá que teve êxito em ressuscitar Drácula, o olho no meio da sala se abrirá transportando Alucard para uma dimensão toda psicodélica aonde a batalha final entre Pai e Filho se iniciará. Mas Alucard não veio aqui somente para destruir o mal, mas para vingar a morte de sua mãe, Lisa.
Existe um ponto no canto esquerdo da tela em que se você ficar abaixado, o Vampirão dificilmente o atingirá.  Você sempre pode apelar para a combinação da magia Shield Rod e Iron Shield. Ocorrerá um momento em que Drácula irá subir e aparece mais ao fundo da tela, nesse momento ele disparará uma carga azulada de energia que o obrigará sair de seu “porto seguro”, você pode calcular o tempo e dar um salto duplo por cima dessa energia, ou então usar a névoa para não ser atingido.
Após derrotar seu pai, Drácula reconhecerá seu próprio erro, pedindo perdão à Lisa...
...logo em seguida ele se despede de despede de seu filho e morre. O castelo começa a se destruir, Alucard encontra novamente Richter e Maria seguindo-se um diálogo, Alucard diz que eles não mais se verão novamente, e que irá sumir porque o sangue que corre nas veias do Dampiro é amaldiçoado. Sem desejar que Alucard desapareça de sua vida, Maria vai atrás do Dampiro.
Interessante que isso gera um estranho conflito digno de histórias de amor impossível, pois sendo Maria uma caçadora de vampiro e Alucard um Vampiro (Dampiro para ser mais exato), eles teriam que lutar muito para ficarem juntos. O game em si possui CINCO (5) FINAIS, quatro deles com Alucard e um com Richter Belmont. Os finais ruins ocorrem SEMPRE quando Alucard mata Richter Belmont no Castelo Regular, como são dois, o primeiro deles ocorre quando você NÃO consegue as Holy Glasses com Maria, no final Alucard aparece sozinho nas ruinas refletindo sobre o que aconteceu. O segundo final ruim ocorre quando você mata o Richter MESMO TENDO PEGO as Holy Glasses, aqui Maria aparece junto com Alucard nas ruinas e o Dampiro dá a notícia ruim a ela.

Também temos DOIS FINAIS BONS, ambos são quase idênticos e o ponto de definição principal do que se deve fazer para ver um e outro ocorre depende da porcentagem de exploração do castelo, mas ambos finais se desencadeiam quando Alucard destrói Dracula no Castelo Invertido, na ultima cena podem ocorrer a diferença é que, se você terminar o game abaixo de 196% Maria NÃO seguirá Alucard, voltando com Richter. Mas se sua porcentagem ficar acima de 196%, Maria seguirá Alucard.

O quinto final ocorre quando você termina o game e o reinicia jogando com Richter no lugar de Alucard, na batalha final o caçador de vampiro enfrenta Shaft, e quando o feiticeiro for derrotado, o jogo terminará mostrando uma cena em que casteloa é destruído e, depois disso, mostra Richter observando as ruínas do castelo. mas não corre diálogo algum, somente ele vendo as ruinas e por fim o letreiro do Staff subindo. Vale ressaltar que aqui RICHTER NÃO ENFRENTA A FORMA FINAL DE DRÁCULA, isso é “exclusividade” somente de Alucard. Assistam a um vídeo mostrando cada um deles:

Existe, entretanto, um final com Maria na versão de SEGA Saturn, mas esta é similar ao de Richter. Vejam:

Porque eu escrevi “exclusividade” entre aspas quando falei que a derradeira forma de Drácula era enfrentada somente por Alucard? Simples! Usando um processo Desconstrutivo, pude meter Richter Belmont na luta contra a ultima forma de Drácula, eu ensino a fazer isso BEM AQUI no meu post sobre os Códigos Expressos.
Entretanto, como se trata de uma instrução imprevista pela CPU do game, é normal que algo anômalo pudesse ocorrer no desfecho do game.
As aberrações gráficas ocorrem já a partir do momento em que Richter aparece, ele fica em volto a um efeito de cor bugada no interior do que normalmente seria uma camada de gelo. O Drácula não fala nada, a batalha simplesmente acontece. Se formos na raça, a luta se torna árdua ao nível de impossibilidade de vitória por parte do lendário caçador de vampiro, já que um golpe do Drácula mata o Richter de uma só vez. Entretanto, eu trago o efeito de invencibilidade através do código 80072F1A 0003 que deixa Richter Invencível, código este explanado NESTE POST.
Após derrota do vilão, nem assim Drácula diz alguma coisa, a cena do castelo indo para as cucúias ocorre normalmente, e na cena a seguir, aparece Richter e Maria juntos quando chega Alucard, a janela de diálogo aparece com o nome do Dampiro e a tela fica travada ai somente com a capa de Alucard tremulando. Fiz algo assim numa série de postagens especiais sobre Phantasy Star III que fiz para o Blog da Gazeta de Algol. Bem, não tenho como evitar uma certa tristeza por ter concluído esta série de estudos com postagens mesmo esse tendo sido um dos trabalho mais demorados e desgastantes gamisticamente falando a qual eu já tenha feito na vida. Mas também não foi possível controlar 1001 recordações de vários momentos da minha vida enquanto trabalhava nessa série. Quando o Castlevania Symphony of the Night saiu para Playstation X, foi uma experiência sem igual, quanto o game foi portado para SEGA Saturn (Este por sua vez com uns extras interessantes), eu acabei não tendo a oportunidade para jogar, mesmo porque, existia uma barreira complicada de encarar, que era o da língua japonesa. Posteriormente o jogo acabou saindo para X-Box 360, Playstation 3, PSP e PS Vita, mas a versão que eu acabei guardando no coração foi a do console de 32 Bits da SONY.
"A versão do PSX saiu no final do primeiro trimestre de 1997, enquanto a de Saturn só deu 
as caras durante a metade de 1998”

Muitos detalhes sobre este jogo me foram marcantes principalmente em minha primeira jogatina, na verdade este Castlevania esbanja detalhes em quase tudo que se possa imaginar, na verdade eu me deparei com coisas que nunca pensei que pudesse ver num game até que um amigo comprou o CD de Castlevania para a sua Locadora de games. Dentre as coisas mais impactantes e de certa forma até minimalista do ponto de vista de muitos, a primeira foi a conhecida tela de “NowLoading” com a qual podíamos brincar simplesmente mexendo no direcional enquanto ela ondulava de formas distintas, muitas vezes o desafio era deixar o letreiro completamente parado, hábito este que pratico mesmo agora enquanto jogo para escrever esses textos. Mas essa tela não passa de uma distração para não ser um momento perdido de interação, até porque é inputil mover a envergadura da ondulação do mesmo. Outra coisa de que me lembro que chamou muito a minha atenção, foi a sala de transição de tela a qual precisamos atravessar dentre um cenário e outro, o carregamento do cenário da fase a qual iriamos entrar foi camuflado por uma sala de transição entre duas portas envolvidas por uma aura escarlate, destaque para o “CD” embaixo de um ícone de um disco.
Outra coisa que eu achei estranha foram as salas de save points, ali tínhamos a sensação de absoluta segurança e paz. E não para por aí, num ritmo compassado de um som cardíaco, havia uma figura geométrica pulsante desenhada sob a forma de um sólido poliedro regular convexo de 20 faces chamado icosaedro ou também denominado como “tetraedro sneb”, quando nos aproximávamos dele e pressionávamos para cima, aquela forma se transmutava para algo bem mais conhecido, aquilo se transformava num ataúde funerário que além de salvar o game, ainda curava os males do corpo de nosso personagem. Mas era estranho ver um objeto construído em polígonos com textura em meio a um cenário pre-renderizado.
Bastava pressionar para cima para se curar e salvar

Várias pessoas definem a dublagem de Symphony of the Night como “Um dos grandes momentos na atuação ruim e uma lição sobre o que não se deve fazer em termos de dublagens”. Mas você acredita que as vozes deste jogo jamais me incomodaram? Havia algo de especial nela, talvez por ter sido a primeira versão com a qual eu tive contato, mas havia uma coisa que eu não engolia de jeito algum, eram os miserável vídeo full-motion, eu realmente não aceitava uns CG’s com tão baixa qualidade. Mas mesmo assim eu não poderia negar que Castlevania: Symphony ofthe Night era e ainda continua sendo um grande jogo. Sendo assim, com um misto de tristeza e alívio, hoje dou por encerrado a série de postagens referentes a este Castlevania, você confere todos os posts CLICANDO AQUI. O próximo grande game a receber uma Desconstrução como essa? Não sei ainda, estou pensando em me dar umas férias, pois esse trabalho com o Castlevania me  deixou realmente desgastado. Sendo assim despeço-me de vocês com o meu cordial, habitual e sincero desejo de Vida Longa e Próspera!
\\//_

Nenhum comentário:

Postar um comentário