12 de março de 2017

Lendo Revistas de Games durante o recreio

Quase todos zoavam aquela aluna que tinha uma mancha vermelha no rosto, era um sinal de nascença que ela própria odiava ter. Mas aquilo nunca me incomodou, o que me irritava nela eram seus soluços, mas naquela ensolarada tarde em algum momento do ano de 1994, essa garota conseguiu bater o record, seus soluços eram tão altos e incontroláveis que era inevitável o mesmo ser seguidos por risadinhas reprimidas dos demais alunos presentes ali, os sons atravessavam a sala de aula que jazia (Ou deveria permanecer) em quase total silêncio devido ao trabalho de classe que todos estavam fazendo. Pessoalmente, eu ansiava pelo soar da campa que estava prestes a destruir aquele silêncio com todo mundo começando a falar alto por conta do horário do recreio, mas não entendam isso como um odiar de minha parte pelo sossego sonoro, mas devido ao fato de antes de entrar em sala, eu havia comprado uma revista de games e estava louco para lê-la.

Sim! Este foi somente um dentre tantos outros momentos aos quais em vez de sair de sala, eu permanecia na mesma para ler alguma coisa. Lembro-me de vários momentos marcantes assim como outros insignificantes que ocorriam durante os intervalos das aulas do primário naquelas tardes de 1994 e 1995. Eu lia revistas como Ação Games, Super Games, GamePower, Super Game Power, e aquilo tornou a minha infância e adolescência mais marcante do que se eu tivesse feito o que não gostava, como jogar bola na rua ou pra dentro dos quintais das pessoas, empinar pipa enroscando as mesmas nos fios dos postes ou qualquer outra brincadeira que estava mais próxima de uma travessura do que qualquer outra coisa.

Por isso que hoje decidi reservar um espaço tanto neste blog quanto no meu canal para falar sobre um projeto de um amigo que tenta manter vivo não somente o hábito de ler uma boa revista impressa como as memórias de um importante passado do entretenimento tecnológico e sobre um importante passo nesta etapa que precisa do apoio do máximo de pessoas envolvidas.



O amigo Cleber Marques do Canal WarpZone esta encabeçando um projeto muito interessante em conjunto com a Tectoy para a criação de um livro de LUXO dedicado ao maior console da SEGA, entretanto ele conta com o apoio das pessoas interessadas ajudando um Catarse que é muito mais do que o pagamento de um livro, e sim ter o próprio nome escrito numa publicação que já nasceu como uma lenda.

Para quem não sabe, a revista WarpZone é uma publicação retrogame brasileira feita de fã para fã que começou em 2015 como uma fanzine. Entretanto, o trabalho que teve como fonte primordial de inspiração o desejo de levar todos de volta aos anos 80 e 90, cresceu e hoje já está nas bancas e até livrarias do Brasil inteiro.
Para maiores informações CLIQUEM AQUI. Vida Longa e Próspera!
\\//_



Um comentário:

  1. te desejo boa sorte com o livro. pena que não estará nas bancas para qualquer gamer comprar

    ResponderExcluir