15 de janeiro de 2016

Castlevania Symphony of the Night (Gamers on the road: 005) Explorando Outer Wall

Seguindo adiante como num GamePlay normal, chegamos ao Outer Wall, que nos impressiona não apenas com sua orquestra, a Tower of Mist, mas pela grandeza com a qual este ambiente foi criado. No geral, a estrutura desta área é predominantemente vertical, sua maior ameaça, ou melhor dizendo, os residentes mais maçantes são as cabeças de medusas flutuantes que estão quase sempre no lugar certo para atrapalhar principalmente os saltos do personagem ao explora o local enquanto ascende ou descende no mesmo.

Assim que entramos aqui, vindo da Marble Gallery, encontramos logo a frente um Anel de Zircão dentro de uma grande urna. Descendo um pouco e indo para a esquerda, encontramos um Armor Lord guardando uma entrada, dentro dela existe uma sala aparentemente sem saída que esconde um segredo, no canto inferior esquerdo você poderá destruir a parede para pegar um Pot Roast (Churrasco), mas não pense que a coisa termina por aí, se você ficar exatamente onde estava a carne por uns 20 segundos, um elevador o conduzirá para o nível inferior com um Jewel Knuckles (Soqueira de Jóias) e um Mirror Cuirass (Couraça Espelhada):
Mais a frente existe uma saída que normalmente você não poderia pegar, pois se trata de uma grade que só pode ser atravessada se você tiver com a habilidade de se transformar em névoa, neste caso, basta voltar para o elevador e subir novamente. No ponto mais baixo estará uma saleta de observação onde poderá avistar ao longe pela luneta um barqueiro claramente inspirado em Caronte que, na mitologia grega, era responsável por conduzir as almas dos mortos pelo rio Acheron em troca de uma moeda de prata chamada Obulus.
Também haverá uma cena curiosa com um pássaro e um ninho mostrando as etapas de crescimento dos filhotes, para isso, basta ir saindo e entrando na sala até ver o ciclo todo. Aproveitando o código que remove as paredes, podemos completar uma parte maior do mapa para a porcentagem final do game, mas aqui eu gostaria de comentar um pequeno detalhe sobre o mapa ativado no select, observem a imagem a seguir:
Quando saímos dos limites “pisáveis” do cenário, o mapa acionado pelo botão Select exibe num cinza bem claro essas áreas onde não deveríamos estar. De fato a exploração aqui é até simples quando se usa esses códigos para remover essas barreiras, a maior porcentagem é muito bem aceita quando se consegue alcançar a parte externa do castelo, que é o que iremos fazer em todos os pontos permissíveis.
Mas mesmo assim existem coisas curiosas aqui neste lugar. Aqui em Outer Wall é onde teremos acesso ao primeiro teletransportador, que você acessa ficando no meio dele e pressionando o direcional para cima. Outra curiosidade interessante, porém sinistra encontrada neste lugar é sobre seu chefe, o Doppelganger 10. Este termo provém do idioma alemão onde doppel que significa "duplo", duplicata ou "réplica" se funde com o termo gänger que significa "andante", "ambulante" etc formando assim “Doppelgänger” (Pronunciado mais ou menos como “Doperguenhah”), “duplicata andante”.
Segundo as lendas germânicas, trata-se de um espírito sobrenatural que consegue replicar a aparência de uma pessoa (Geralmente de sua própria vítima) fazendo-a se passar por ela (Assassinar sua vítima para que ele possa assumir o papel da mesma em vida). Se quiserem saber mais, leiam a matéria sobre as 10 histórias mais perturbadoras envolvendo esses seres no site HypeScience.
Será que o numeral “10” de Doppelganger 10 se refere a essas 10 curiosidades?
;-)

Após a luta ganharemos um LIFE MAX UP, mais a frente, no prosseguimento do caminho, encontraremos uma GLADIUS, indo mais a frente (Direita), chegaremos novamente a parte da torre, mas não estará mais chovendo. Subindo, haverá uma porta com uma aura vermelha que leva a Long Librari, mas ainda não iremos entrar nela, vamos subir mais ainda sempre tomando cuidado com os Esqueletos Símios que jogam barris flamejantes, os guardas que atacam com lança, os cavaleiros que arremeçam machados que vai e volta (“Machadorangue?”), arqueiros caveiras e o trio que disparam usando mosquetes. Passando tudo isso, encontra-se mais uma porta com aura escarlate, só que desta vez ela nos conduz a uma sala com um teletransportador que, por enquanto, só nos leva para a área da Entrance com um Heart Max. Ainda na Outer Wall, vamos subindo cada vez mais, passando por mais cabeças de medusas aladas e um Lord da Espada. Mas gostaria de fazer mais um pequeno comentário sobre uma dessas cabeças de Medusa que são amareladas, as Yellow Medusa Head, quando elas encostam no nosso personagem, ele se transformará numa estátua de pedra, entretanto rara as vezes que ao ser petrificado ele se transforma numa enorme estatua de um gárgula ao invés de ficar com sua aparência humanóide "normal".
Tente usar para ver o que acontece: 80073484 003A


Vamos continuar subindo até chegarmos num maquinário estranho, após espancar a alavanca do mesmo, ativaremos o elevador onde há uma relíquia chamada Soul of Wolf (“Alma do lobo”).
Mais acima encontraremos o cenário Clock Tower, mas ainda não é para lá onde deveremos ir. E por fim, no topo da torre, encontramos uma sala de save. Mas o nosso destino agora é alcançar a Long Librari que é onde iremos nos ver somente no próximo post. Até lá, Vida Longa e Próspera!
\\//_

9 comentários:

  1. Eu acho muito legal essa coisa do Doppelgänger. Outro dia eu estava vendo uns vídeos sobre isso. E acabei lembrando de quando as pessoas vinham até mim dizendo que me viu fazendo isso ou aquilo e eu não lembro de ter feito. Acho esse tema muito interessante.
    Quando comecei a jogar esse jogo, eu achava que esse era o nome do personagem que aparecia, mas sem querer, depois de anos, fui descobrir que não era nada disso. Castlevania traz dessas coisas "estranhas", e eu curto demais. Já passei minutos olhando o background, inimigos... E tentando achar alguma coisa a mais no jogo. Esse jogo é para mim, completo, em se tratando da franquia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem muito mais coisas nesse estilo, Vagner. Tanto que eu vou fazer um esforço pra falar sobre elas...

      Excluir
  2. Na área mais baixa de Outer Wall, muitas vezes eu observava apenas o lago sem nada, outras um peixe pulando e outras o barqueiro. Há algum significado nisso, ou é só aleatoriedade?

    Em relação ao pássaro e os filhos no ninho, eu nunca reparei que eles "cresciam". Boa observação.

    Old-Hutter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ha um significado, eu desconheço. Mas também reparei nisso.

      Excluir
    2. Eu acho que isso além de ser uma referência a Rondo of Blood, também é uma indicação de que o barqueiro não está sempre no mesmo lugar

      Excluir
  3. Incrível Yoz!
    É notável como os japoneses se inspiram em nossas histórias para criar jogos. Até mesmo nossas (ocidentais) lendas, mitos e superstições. Brincadeira essa HyperScience hein?! kkkkkkk tá pior que a Superinteressante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA Valeu! Quando ha possibilidade e eu descubro, eu insiro esses tipos de informações. Na minha primeira grande série do blog, sobre BioHazard Battle do Mega Drive, eu acabei inserindo num dos posts informações mitológica e biológicas.

      Excluir
  4. É um detalhe bacana o Alucard as vezes ficar numa pose típica do pai quando petrificado, ou até nos dar um vislumbre de sua transformação monstruosa que infelizmente nunca realmente aparece na série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso muito nisso, sabia Hyper Emerson? Eu fico pensando naquele jogo do Mega Drive chamado Gargoyles, e que se rolasse uma transformação dessas do Alucard no Castlevania, poderia ter uma jogabilidade parecida com essa do Gargoyles.

      Excluir